A IDENTIDADE LUTERANA

O Martinus se reconhece como uma instituição evangélico-luterana, ligada à IECLB.

A Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB) tem sua origem no movimento reforma da igreja no século 16 do qual Martim Lutero foi um grande protagonista. Na sua descoberta doutrinária, baseada em seus estudos da Bíblia Sagrada, Lutero afirma que o ser humano é salvo por graça e fé e não por obras meritórias.

O luteranismo chegou ao Brasil em 1824 junto com a imigração alemã e, embora tenha permanecido mais concentrado no Sul e Sudeste do Brasil por mais de um século, hoje há comunidades luteranas espalhadas em quase todos os estados brasileiros.

Desde a sua origem, a Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil tem nas comunidades sua base de sustentação mais importante. A vida celebrativa tem aí o seu espaço privilegiado. A Igreja abre espaço e valoriza a participação dos membros na vida comunitária.

As escolas da Rede Sinodal de Educação, as quais, em sua grande maioria, têm sua origem na imigração alemã, estão vinculadas à IECLB (Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil). Os imigrantes alemães trouxeram uma expressiva bagagem cultural e educacional e providenciaram os meios necessários para aqui preservá-la e ampliá-la. O caminho escolhido para isso foi a criação de instituições educacionais atentas às necessidades vitais e à auto-gestão das pessoas e da própria comunidade.

A característica da confessionalidade permite que as escolas da Rede Sinodal de Educação tenham autonomia nos seus processos de gestão, sejam eles de ordem administrativa, pedagógica ou de pessoal, bem como em suas diretrizes e estratégias, observados os referenciais legais da Educação Nacional.

A identidade luterana caracteriza-se pelo diálogo entre a pedagogia e a teologia, assim como pela leitura da realidade, procurando tornar o fazer pedagógico um ato educativo marcado pelo espírito cristão. Como decorrência desse pressuposto, as decisões pedagógicas devem ser permeadas por princípios humanistas, compreendidos como o respeito à pessoalidade e à individualização no ambiente escolar, a valorização das idéias e da pluralidade cultural, religiosa e social e ao processo interativo entre os diferentes atores do contexto escolar.

a rosa de lutero